segunda-feira, 5 de outubro de 2009

"Babi Fonteles & Zé Vicente Em Canto" - O Long Play

Eu sou do tempo do LP, ou long play.
Quem não gravou um LP, não conhece a emoção do demorado processo que era a produção daquele imenso disco preto, cheio de sulcos a serem preservados de arranhões, que tocava um som com fundo de chuva fina.
O primeiro - e o único - LP que gravei, "Babi Fonteles & Zé Vicente Em Canto", uma produção independente, carrega consigo muitas histórias. Desde sua primeira versão em cassete, em 1991, este álbum me levou a lugares a pessoas entre os/as mais inusitados/as de minha vida. Lembro, por exemplo, o show realizado no Teatro Romano, em Verona, na Itália, no dia 13 de junho de 1992, quando milhares de pessoas se apinhavam dentro do recinto para nos assistir e, depois, invadindo o palco para cantar nossas canções e pedir bis inúmeras vezes, até que os seguranças nos pedissem para parar, por receio de que a estrutura do palco não aguentasse o peso de tanta gente.
Compartilho com vocês, amig@s, este trabalho já em sua maioridade de 18 anos!
Guardarei as histórias para contá-las aos poucos, neste espaço. Por ora, ofereço a vocês o texto escrito a quatro mãos com o parceiro Zé Vicente, que serviu de apresentação no encarte do LP.
Abaixo, ofereço o link para que você possa baixar as músicas e a capa da versão em CD, fabricada a partir do ano 2000 pelas Edições Paulinas.

 
BOM LEMBRAR!


Junho de 91.
Nos encontramos em Recife,
Primeira gravação em cassete de “Em Canto”.
Era inverno no litoral
Chovia, chovia.
Tudo marcado de novidade e sonho.
A banda juvenil “Flor da Pele”
- Geraldo, Naldo, Léo, César Michilles –
Meninos lindos, plenos de audácia e alegria!
Ana Diniz, a Bisquí, presente
Companheira na voz e no carinho.
Margareth Malfliet nos olhando de longe
Encorajando com sua solidariedade concreta,
Dizendo sempre “vão sem frente!”
A vocês, cambada querida,
A quem deu força sem nada exigir,
Um beijo de ternura e saudade!
Nasceu “Em Canto”
Com direito até àquelas vigílias e lágrimas
Noite adentro,
Coisas da vida!


Março de 93,
Fortaleza 31 graus.
Estamos gravando o disco “Em Canto”.
Novo adjunto de energias, recursos, suores e paixão!
Tem mais gente se “em cantando”
Na cartada,
Nossos parentes artistas:
Pingo de Fortaleza, Eugênio Leandro, Flávio Paiva,
Luis Carlos Fonteles e tantos outros
Indicam contatos importantes,
Vêm participar com brilho e cumplicidade.
Nossos queridos Zé Maria, Lúcia, Durval, Geosa
Nos entregam a “chave da casa”
E nos sentimos em família!
O bloco de apoio econômico
E é um leque que se abre sempre mais
Contemplando até apoios “anônimos”,
Incluindo algumas instituições a quem recorremos
Na certeza da importância cultural do nosso projeto,
Mas na humildade de quem necessita:
Companheiros(as) de Cà Forneletti – Itália,
Universidade Federal do Ceará (UFC),
CBC & Associados Propaganda LTDA.


Estamos certos, outras mãos chegarão
E já respiramos aquele ar de satisfação
E reconhecimento!
Olhamos aqui, prá dentro da gente,
 E sussurramos ao coração:
- vamos, pé na estrada
Afirmando na música
Que vale a vida, a beleza,
Todos os passos de resistência cultural
Ensaiados por nós, povo,
Aqui, no sertão do mundo.
A hora exige
O coração pede.
Valeu, povo querido!
Zé e Babi.

 



5 comentários:

Paulinha disse...

Isso sim é história pra contar!
Belíssima.

Forte abraço.

Léo Cardim disse...

Poxa Babi, que legal! Não sabia que você tinha sido companheiro de estrada do Zé Vicente.
Além disso, que mundo pequeno! Pelos idos de 1996, vc fez uma apresentação singela para um grupo chamado JUSC, na Paróquia de Cristo Rei em Fortaleza e tempos depois o reencontro nesta luta com os Tremembé!
Posso dizer que provei um pouco deta história!

Maycon disse...

Cara, sou apaixonado pela musica "companheira". Por acaso você tem a partitura? Um forte abraco!

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Lima disse...

Babi, uma riqueza esse disco. Comprei num sebo numa época em que não se vendia mais LPs no Brasil. E você fez a melhor de todas as parcerias, com esse cara que é um ícone da música nesse país. Muito bom mesmo.